quinta-feira, 1 de maio de 2008

O meu amor cheio de cólera

Hoje vou contar a história.

"Fermina Daza e Florentino Ariza se conheceram de maneira inesperada, num momento em que Fermina não acreditava mais em amor...
Aos poucos eles foram se aproximando, ele cercava ela de todos os lados, falava coisas por olhares que diziam muito mais que mil palavras ditas em bom e alto som e deixava isso claro a todos que quisessem saber seu interesse por ela.
Ela se sentia cada dia mais feliz, mas conforme sua dureza habitual ela não se permitia assumir que a felicidade que sentia era fruto da sua proximidade com o Florentino.
Os dias voavam mas eles não notavam isso... Chegou num ponto em que era impossível esconder qualquer coisa, tudo os denunciava, as palavras ditas e não ditas, os olhares insinuados, os toques de mãos furtivos, os sorrisos contidos... Tudo estava explicito demais e não havia mais como fugir do sentimento que os dominava.
Resolveram se entregar de corpo e alma um ao outro, mergulhar de vez nessa paixão furiosa que os dominava. Trocaram mil juras de amor eterno, dormiam de mãos dadas, conversavam noites a fio até o dia clarear, trocavam beijos ardentes. Tudo indicava que eles se casariam, ficariam juntos até o fim de suas vidas e que aquele era o amor puro, da raiz, com toda sua força e formosura... Mas havia algo errado e ninguém sabia o que era, nem mesmo eles.
Apesar da paixão fumegante que os dominava e do desejo infindo que eles tinham de estar juntos...algumas diferençar começaram a brotar e eles não sabiam resolver essas diferenças. Ou havia discussão ou havia silêncio e isso foi distanciando eles cada vez mais, até que um dia tudo acabou do modo como começou: inesperadamente.
Em Florentino o ódio floresceu e tomou o lugar do amor. Ele passou a detestar Fermina com todas as forças, seu ódio era tão forte que ele decidiu ir embora. Foi embora sem olhar pra trás, sem pensar no amor que um dia os unira e que os consumira e que deu a ele os dias mais felizes de toda sua vida triste e solitária. Florentino não mediu nada, afinal o ódio movia ele.
Fermina por sua vez se abateu de uma tal maneira que chegou a pensar em desistir da vida. Quis parar de respirar, pensou que nunca mais conseguiria sorrir... Apenas pensou.
O tempo passou e a ferida com muito custo secou em seu coração. Ela exibia um desprezo terrível por Florentino e sua insensibilidade, mas por dentro ainda lhe restava uma pequena chama daquele amor fugaz.
Fermina se proibiu pensar em Florentino e seguiu sua vida. Os anos se passaram e ela encontrou um novo amor. Enquanto Florentino há muitas léguas de distância dela ia levando sua vida mesquinha de homem, da qual decidiu radicalizar tudo e se envolver com várias mulheres. Experimentou de tudo até perceber que aquilo não era o que ele procurava, por mais que ele estivesse junto de várias pessoas ele continuava se sentindo só e não havia quem conseguisse preencher aquele vazio do modo que Fermina o preenchera.
Mas ele era covarde demais para assumir isso e ir atrás dela, além do mais Fermina estava bem casada agora, tinha seus filhos e ele jamais se exporia dessa maneira.
E foi desse modo que os anos transcorreram vagarosamente pra um e atroz pra outro.
Fermina levando sua vida de mãe de família com o fantasma do Florentino em sua vaga memória já velha e Florentino levando sua vida libertina aos braços de várias mulheres, com a figura cálida de Fermina em seu coração que ainda batia rapidamente, apesar de já estar velho e cansado.
Assim se passaram mais de 50 anos... Até que o bom esposo de Fermina faleceu e Florentino sentiu que aquela era sua verdadeira chance de reviver um amor sem igual.
Não pensou duas vezes ao reaparecer na vida da viúva Fermina. Apesar de velha os olhos eram o mesmo e sua expressão séria ainda pairava sobre aquele envelhecido belo rosto.
Fermina se recusava a ter qualquer contato com Florentino. Pois a mágoa do abandono ainda a rondava e aquilo era demais para o seu orgulho. Mas..."


Não sei mais.

2 comentários:

Yasmin disse...

Eu acho que sei...se é o que penso...eu queria saber o resto também!

DIARIOS IONAH disse...

RECENTEMENTE EU LI ESTE LIVRO,
mas eu penso que a Firmina nao era muito afim dele.
ela amava mesmo aquele bobao do marido, ou as coisas materiais que ele lhe proporcionava.o Florentino
quis mesmo foi levar a forra nesta historia.