terça-feira, 5 de agosto de 2008

Não sei...


"Olhos verdes ou azuis? Não sei ao certo. Penso neles o tempo todo, acordo e lá estão eles, vivos, intensos, em meus pensamentos. Me deito e lá estão eles, calorosos, apaixonantes, acesos na escuridão do quarto.

Não consigo parar de pensar. Me esforço para demonstrar interesse, mas tudo o que consigo fazer é olhar para ele furtivamente... Se essa timidez não existesse entre a gente, as coisas, definitivamente, seriam bem mais fáceis.

Não vou dizer que é paixão, amor ou qualquer um desses sentimentozinhos, tão comuns e banalizados que não valem mais nada. É algo intenso, que me faz rir sozinha, que me deixa flutuando, que me faz pensar sempre, algo que me aprisonou sem que eu quisesse, algo que me viciou, me escravizou, algo que deixa a vida mais saborosa, algo que dá um brilho ao meu olhar, outrora apagado, triste...

Não sei ao certo patavina. E confesso: se for saber sobre algo, que esse algo não me tire de onde estou...nas nuvens."


Josefa de Alencar

4 comentários:

Jefferson disse...

Olá Mary,A profundidade de simples textos são impressionates,você sabe reconhecer isso como nimguem.bjs

Mariana disse...

O texto não é meu, Jefferson.

yasmin disse...

Agora fudeu.... :/

I just called to say "bye"?
uhahuahuahuaha

Jefferson disse...

minha filha,sei que o texto não é seu,embora profundo...