terça-feira, 23 de novembro de 2010

Hapiness


"Coloca mel na calcinha e voce vai ver, é batata, menina!"

Tenho 22 anos e até hoje nao entendo esse desespero, tipicamente feminino, de ter alguém do seu lado, preenchendo lacunas que podem ser preenchidas com um bom livro, um bom filme, amigos divertidos, baladas ocasionais, trabalho, estudo... Ok, essas lacunas nao podem ser preenchidas com nada disso, mas se por alguns meses da vida elas estiverem vazias nao fara muita diferença, porque no fim das contas voce consegue sobreviver e creio que isso seja o fundamental...ou nao?


"Voce precisa ampliar os horizontes, saia mais, se arrume mais! Funciona, pode acreditar!"

Errr, mel na calcinha estava mais facil... Ampliar os horizontes. Ampliar os horizontes. Ampliar os horizontes?
Até agora nao faz sentido para mim. Efeito entao...nem se fala.
Sair até que nao é ma ideia, exceto quando eu vou trabalhar de ressaca no dia seguinte, sou assaltada por estar na rua de madrugada, conheço pseudos gringos, vou achando que sera a noite mas nem bebada consigo ficar, enfim, talvez sair nao seja a melhor opçao também.
Alguém tem mel ai?
Se arrumar mais: unhas postiças, megahair, lente de contato azul, blush, minissaia... do que voce esta falando? Se perder a essencia for a receita do bolo, estou fora. Sabe como é: odeio mudanças, sobretudo se for em mim.

Outro dia minha irma disse que tinha um cara querendo me conhecer. Senti um calafrio na espinha, a coisa estava ficando critica, afinal, o que a minha irma tem a ver com isso?
Hesitei, mas perguntei:
"Entao...como ele é?"
Maldita hora. Ainda bem que nao havia nada certo. E ela começou a descriçao, no fim das contas eu estava crente que estavamos falando do Corcunda de Notre Dame!
"Ah, ele nao é feio..."
Quando a frase começa assim... FUJA!
"...ele so tem um probleminha na perna, ele manca um pouco...e o cabelo dele é um pouco crespo...de resto acho que esta tudo bem...AH! Ele é um pouco vesgo e tem a lingua presa..."
Sai da sala antes que eu precisasse agendar uma consulta no psicologo.

Resolvi entrar em um bate-papo. Pensei que eu estava em alguma sala erotica por causa dos nicks, mas era so impressao. Respirei fundo e comecei a "tc" o trivial com estranhos. Quanta humilhaçao, Senhor!
Enfim, encontrei um cara bacana na internet...acho que a maré esta a meu favor. Marcamos um encontro, contei para minha avo e ela quase teve uma sincope. Afinal, onde eu estava com a cabeça de marcar encontros com desconhecidos? Nao havia risco, disse para ela, estaria em um ambiente movimentado.
Céus...por que fiz aquilo?
Ainda nao quero falar sobre isso. Fiquei uma semana olhando fixamente para as pas do meu ventilador de teto, sistematicamente, sem piscar.

Estou bem.

Um comentário:

Uma tal Vânia.* disse...

hahahahahhahahaha. não me pude conter.