quarta-feira, 15 de agosto de 2007

Mulheres

"Eu fumo mas tenho saúde! hahahaha"

Ouvi uma mulher dizer isso, ao subir uma ladeira de bicicleta. Achei a frase idiota, talvez fútil... o fato é que foi isso que a mulher passou. A risada dela, a roupa dela, tudo bem fútil, nojento eu diria.

Essa mulher me fez lembrar a mulher de ontem, que apanhou de dois seguranças ao furtar lojas de roupa. Ela furtou as lojas e entrou no Mc Donald's, disseram que ela estava furtando e escondendo as coisas no salão superior da loja... Dois seguraças seguiram ela e quando notaram que ela iria entrar na loja deram o bote. A minha primeira reação foi rir (tenho algum distúrbio, sem dúvidas), eu ri escancaradamente da situação, da cara de espanto da mulher ao receber o tapa do segurança... Mas depois me deu uma tristeza... Fiquei pensando o quão terrível deve ser não ter dinheiro e querer comprar algo, fiquei com raiva do Mc Donald's por ter tanto, por ser uma empresa tão grande, fiquei com raiva das pessoas que estavam na fila pagando 10,00 reais por um hamburguer, fiquei com raiva de mim por ter rido da desgraça alheia...

A mulher de ontem me fez lembrar uma outra mulher de hoje no ônibus. Ela estava com um bebê tão engraçadinho; não era bonito, era engraçado. Ela tinha uns olhos tão vazios, olhos que te olham com tanto desespero que fica difícil esquecê-los! Cheguei a imaginar que o bebê que ela carregava era roubado, pois ela era tão desengonçada com o bebê no colo e a bolsa do bebê e tinha olhos tão vazios, mas ao mesmo tempo olhava tão amorosamente pro bebê e se preocupava com ele em alguns momentos e em outros parecia que esquecia da existência dele, creio que o bêbe sentiu isso, pois em alguma curva brusca ele segurou no meu braço...

Não faço idéia qual ligação há na vida dessas três mulheres: a fútil, a ladra e a vazia. Talvez as três fossem fúteis, ladras e vazias simultanemente; só sei que elas me pertubaram de alguma forma e esse post é pra elas, mulheres que não voltarei a ver.

3 comentários:

delírios disse...

ai, as vezes me sinto ladra, futil e ou vazia...

mas me sinto outras coisas também, confuso... Adoro como você escreve! =D

beijos

Ricardo Chicuta. disse...

Nossa moça,você pensa bastante,nunca mais vou conseguir pegar um ônibus sem olhar para os bebês agora...

Lecio Montanheiro disse...

tbm me entristecia com pessoas com olhares vazios...

mas cansei.

vc continua escrevendo muito bem!!!
abraços