sexta-feira, 17 de agosto de 2007

Viagem "perdida"

"Hoje eu estava arrumando meu quarto e achei uma caixa debaixo da cama cheia de fotos; fotos sua, das suas irmãs..."

Assim começou a minha viagem "perdida", perdida entre aspas pois no fim ela não foi tão perdida assim. A viagem foi em busca da minha encomenda perdida, tive de ir no galpão do Sedex lááááá longeeee, como não gosto de andar sozinha pedi pra que minha avó fosse junto. A fala do começo do post é dela, ela me disse que havia encontrado uma caixa com fotografias e começamos nossa viagem ao tempo e nossa viagem, literalmente, perdida, em busca da encomenda.

A encomenda é presente de um amigo do sul, Marcelo, que fez aniversário dia 13 e até agora não teve sinal do tal presente... Sou uma pessoa enrolada, confesso. O fato é que os carteiros não gritam e meu interfone não funciona, então fica impossível adivinhar que minha encomenda bate à porta. Como isso aconteceu 3 vezes e eu não estava em casa (ou minha irmã não quis atender), eu só teria a encomenda se fosse retirá-la na agência de lááááá longeeee... E lá fui eu com a minha avó.

Tínhamos apenas 1 hora pra chegar na agência e nem sequer sabíamos onde era, exatamente. Pegamos um engarrafamento descomunal e quando chegamos na bendita rua descobríamos que a rua tinha uns 3 km; detalhe: faltavam 15 minutos pra agência fechar. Andamos tão depressa, corremos, quase fomos atropeladas...e quando chegamos na bosta da agência...advinhem? a encomenda havia voltado pro remente! urgh!
Xinguei, ela também xingou... daí fomos pra uma padaria e tomamos pitú, tá...é mentira, eu tomei uma coca-cola e ela um guaraná natural...rs

Voltamos pra casa exaustas de tanto correr e não concluir nada...
A viagem foi perdida do sentido de não termos concluído o que fomos fazer, mas foi uma aventura e tanto, sem contar a viagem ao tempo que tivemos enquanto estávamos parada no engarrafamento... A companhia da minha avó não tem preço.

2 comentários:

Susu. disse...

Sinto uma pontinha de inveja,Mas saiba que é uma invejinha hiper-saudavel,ok?!!Quando conheci minha avó,ela ja estava velhinha e não me reconheceu,comunicavamos por carta ja que morávamos longe,eu no Brasil e ela aqui no Japão.
Então não tive o prazer de ter a companhia dela,mas sei que ela foi guerreira,criou os 4 filhos depois que meu avô morreu de enfarto.Minha mãe tinha apenas 15 anos...
Hoje minha mãe *baba pelos netos,e tenho certeza que minha avó *babava quando abria o envelope cheio de fotos que meus pais mandavam pra ela!!!
Curta cada momento com sua avó,Chauvin!!
inté.

Mattia disse...

Ainda não chegou... no mínimo deve ser o livro a Odisséia, hehehehehe.