terça-feira, 10 de junho de 2008

São Paulo




A ida ---> Sento na minha poltroninha nº 11 cheia de parafernalha: jornal, suco e pacote com biscoitinhos (a 1001 dá isso de brinde), sem falar a mochila pesada, o celular na mão, na poltrona estava o cobertor e o travesseiro, eu toda enrolada e a minha "vizinha" de poltrona já começa a saga de reclamações:


"Que horror! Ônibus apertado!"


Sento bufando...mal me sento e ela: "Ó filha, você já se achou aí? Como funciona essa poltrona?! O que é isso aqui na frente?" e eu pensando: "Não faço idéia, nunca sai do Rio, como vou saber?" e pacientemente vou mexer nas coisas e respondo: "A senhora tem de apertar a bolinha laranja do lado da poltrona e pressionar a poltrona pra descer...o troço é pra colocar os pés..."


"Ah sim...entendi. Ônibus mal feito"


Deito relaxadamente, quero ver o filme velho que estão exibindo (Romeu e Julieta), mas ela não pára de falar... Pego o MP4 e seleciono as músicas mais berrantes e coloco no máximo volume...mas ainda vejo ela gesticulando e reclamando...


Falava tanto que eu tirava o fone pra ouvir o que ela dizia para não parecer grosseira. Chegando a São Paulo a surpresa dela:


"Nossa Senhora! Quanta favela!!!" fiquei com vontade de gritar: "AH SENHORA SAIU DA ONDE, CACETE? NO RIO DE JANEIRO É O QUE MAIS TEM!!!''


Respiro. 10, 9, 8, 7, 6, 5, ...


"Mês que vem viajo de novo..." Ela espera que eu pergunte aonde ela vai...mas tudo que faço é olhar com desprezo, já estava cansada, 6 horas de reclamação! "Vou pra Nova York!". Não posso deixar isso assim..."Hum, legal. Lá é ótimo nessa época do ano." E ela me olha surpresa, sim, ela pensou que eu fosse uma estúpida que nunca tinha saído do Rio...de fato eu era, mas e daí? Dei uma resposta e ela acreditou que eu já tivesse ido até Nova York.


Fim de viagem! Ufa! Ela ficou me olhando, querendo dar um "Até logo", nem olhei pra trás.


O encontro C ---> Putz! Muito bom...o engraçado era a sensação de você já conhecer (pessoalmente) aquelas pessoas. Rola uma afinidade espontânea...(coisa que não acontece comigo sempre). Ótimo demais! Pena que conhecer a Lu e sua Mamis foi rápido...mas valeu do mesmo jeito. E quem sabe não faremos uma caravana pra Recife no carnaval? rs. A Ni e a Cris dois docinhos (até sei o que a Cris vai pensar: "Não sou docinho..." rs). Amei tudo mesmo! E voltarei, hein!? Me aguardem!


São Paulo ---> Andei mais de metrô lá, em 2 dias, do que já havia andado aqui no Rio, em 19 anos. Espantoso, não? Fora isso...creio que não haja tanta diferença assim. O sotaque deles é berrante, vai falar "tangerina", "pôr roupa na corda" ou "biscoito" perto deles, eles surtam de rir, credo. rs


A volta ---> Dormir. Acordei. Vi "Perfume de mulher" até uma parte. Dormir de novo. Acordei. Parada em Resende. Vi "Sete anos no Tibet". Dormir. Acordei. Fiquei enjoada. Acordei e pronto.



Já estou com saudades!!!

5 comentários:

YASMIN disse...

Você omitiu as partes mais interessantes...
"Calling all angels..."
hahaha

Anônimo disse...

Já disse q adoro seus escritos ???. rsrsrs
Beijo, minha gata

Ni disse...

Vixi... mandei como anônimo..rsrs

Ni (por garantia!)

Anônimo disse...

Para entender São Paulo, só sendo paulista ou tendo um olhar especial como o seu.

bjos paulistas.

Neide
( Lolô está perdida na África, impossível qquer comunicação...)

DIARIOS IONAH disse...

eu adorei!!!!!!!!
viajar eh assim mesmo Mariana, voce se depara com cada ET, ate se conscientizar que o povo brasileiro eh apenas figuras surrealistas. eu curto de montao.
quando viajo com alguem querendo reclamar eu dou uma travada. detesto viajar com negativista do meu lado!
voce pode ser uma excelente jornalista. ja pensou nisso?